Bar do Manga

 

Posso dizer que vivi uma noite de quebra dos meus próprios paradigmas. Continue a leitura que você vai entender.

 

 

Para os amantes da gastronomia (como essa que vos escreve!), a experiência proporcionada é fundamental. Não é apenas o paladar. Do boteco ao estabelecimento da Alta Gastronomia, é o processo como um todo que conta: ambiente, aromas, sabores, apresentação e também o serviço.  Alguns desses fatores moram num âmbito bem pessoal: Os sabores, por exemplo. Mas para gostar ou não de alguma coisa, é preciso experimentar para que a validação seja autêntica. Confesso que tenho resistências à alguns sabores, elementos e insumos, mas apesar disso não me furto de provar antes de dizer que não gostei.

Dito isso, vamos ao assunto do post.

Fomos conhecer o Bar do Manga, que fica no pavimento térreo do Restaurante Manga (conhecido por oferecer uma experiência sensorial para o seu cliente.) O Manga não mora no óbvio. O projeto é um mix de ousadia, dedicação e empenho em estudos, do casal Katrin e Dante Bassi, ela alemã e ele baiano, que se conheceram quando trabalhavam no D.O.M (SP), e mistura técnicas contemporâneas, respeito aos alimentos e liberdade de criação. Falarei sobre o restaurante Manga em outro post, hoje o assunto é o Bar, que não se resume apenas a ser uma área de espera do restaurante, mas é visto como um destino por si só, e que oferece um menu de petiscos com foco em charcuteria, e carta de coquetéis assinada pelo renomado bartender paulista Jean Ponce, dono do @guaritabar em SP.

Provei diversas iguarias, mas vou evidenciar:

 Drink: Eu não sou muito de drinks à base de cachaça, mas escapuli da minha tradição de escolher um Gim e me rendi ao São Salvador e AMEI. Um drink pra ir saboreando devagar, feito de cachaça 7 madeiras, limão, gengibre, fernet e matcha. #Aprovado!

IMG_9584-2

Pão de queijo recheado com língua e cebola: Comi antes de saber o que era, e fiz questão de não saber para abrir à experiência. Tão #delicioso que até esqueci de fazer a foto! – Eu ouvi um amém, Igreja?

Meus companheiros de mesa me pregaram uma peça, mas no final, eu agradeci: Provei de olhos fechados – literalmente – o “Buchada Brava” – Bucho crocante, buchada e batatas bravas. I-N-C-R-I-V-E-L.

IMG_9622-2

 

Depois veio o “Oreo”, e aí devo dizer que me superei: Olho-de-boi defumado com creme-fraîche de dill e crocante de cebola… que negóço gostoso, viu?

IMG_9595-2

 

Para paladares mais tradicionais teve também: Salsichão com chucrute (Uma gostosura), e uma Flammkuchen tradicional – Especialidade muito popular na Alemanha, tem massa bem mais fina que a da prima italiana. A cobertura clássica consiste em crème fraîche, bacon e cebola. #aff #boademais

IMG_9612-2

 

Pra fechar a noite, Picolés de sabores variados feitos artesanalmente pela chef Katrin Bassi. O meu foi de Creme e com pedacinhos de Manga. Parfait!

 

IMG_9632

Resumo da Ópera: Enfrentei minhas resistências e abrir novos horizontes de possibilidades no universo dos sabores.

Então diga que valeu… valeu demais!!

MANGA

Endereço: Rua Professora Almerinda Dultra, 40, Rio Vermelho – Salvador.

Referência: em frente à Igreja de Nossa Senhora de Santana

Funcionamento:

Segunda e terça: fechado

Quarta a sábado: das 19 às 23h (Restaurante)

                                das 19 às 00h (Bar do Manga)

Domingo (almoço): das 12h30 à 16h

Informações e Reservas: 71 3506-2744 | 71 991431310 | 71 991442068 (Whatsapp)

 

 

%d blogueiros gostam disto: